Defesa de Dissertação de VICTOR ANTUNES LEOCADIO - Curso: Mestrado em Demografia

Calendário
Defesas
Data
12.12.2018 9:30 am - 1:00 pm

Descrição

Defesa de Dissertação do Programa de Pós-Graduação em Demografia/CEDEPLAR/FACE/UFMG

 

Aluno: Victor Antunes Leocádio

 

Título: “Childlessness no Brasil: A Contribuição das Mudanças Sociodemográficas para a Tendência de Zero Filho”

 

Data da Defesa: 12/12/2018 (Quarta-feira)

 

Horário: 09h30

 

Orientadora:    

Profa. Ana Paula de Andrade Verona (CEDEPLAR/FACE/UFMG)

Coorientadora:               

Profa. Adriana de Miranda Ribeiro (CEDEPLAR/FACE/UFMG)

 

Banca Examinadora:            

Profa. Ana Paula de Andrade Verona (CEDEPLAR/FACE/UFMG)

Profa. Adriana de Miranda Ribeiro (CEDEPLAR/FACE/UFMG)

Prof. Eduardo Luiz Gonçalves Rios Neto (CEDEPLAR/FACE/UFMG)

Prof. José Eustáquio Diniz Alves (ENCE/IBGE/RJ)

 

Local da Defesa: Auditório nº 4 – Bloco de Seminários - FACE/UFMG - CAMPUS PAMPULHA

 

RESUMO:

Ocorreu, no Brasil, entre as coortes de nascimento de 1942-1946 a 1966-1970 um aumento de quase 50% na proporção de mulheres que terminam o período reprodutivo sem filho - o que era 9,03% na coorte mais antiga passou a ser 13,53% na mais recente. Essa tendência crescente foi acompanhada por mudanças na composição e associação de variáveis como escolaridade e situação conjugal. Considerando esse contexto, este trabalho possui como objetivo analisar a contribuição das mudanças nos componentes de composição e taxa na explicação do aumento proporcional da ausência permanente de filhos no Brasil, isto é, investigar a contribuição de mudanças sociodemográficas na tendência de childlessness. A análise se dá através de 6 coortes de nascimento, que vão desde 1942 a 1970, obtidas a partir de dados de mulheres com idades entre 40 e 49 anos dos censos de 1991, 2000 e 2010. Os métodos utilizados são regressão logística binária e decomposição baseada em regressão. Os resultados encontrados mostram que, de forma agregada, ambos os componentes contribuem para o aumento proporcional de mulheres sem filho, com ligeira vantagem para as mudanças no comportamento reprodutivo. Analisando a contribuição de cada uma das variáveis, mudanças na educação tiveram um maior impacto do que alterações na situação conjugal. Uma investigação mais específica sobre as contribuições de cada uma das categorias das variáveis mostra que o aumento da proporção de mulheres sem filho é atribuível principalmente a duas mudanças: composição das mulheres com ensino fundamental incompleto e comportamento reprodutivo de mulheres que já viveram com cônjuge. Os resultados desta dissertação sugerem e discutem um possível afrouxamento/desvinculação da relação entre união e reprodução, assim como um aumento da ausência permanente de filhos voluntária.

 

ABSTRACT:

In Brazil, between the birth cohorts from 1942-1946 to 1966-1970, there was an increase of almost 50% in the proportion of women who completed the reproductive period without a child – what was 9.03% in the oldest cohort, became 13.53% in the most recent. This rising trend was accompanied by changes in the composition and association of variables such as education and union status. Considering this context, this work aims to analyze the contribution of changes in composition and rate components in the explanation of the rising trend of permanent childlessness in Brazil, that is, investigate the contribution of sociodemographic changes in this proportional increase of women without children. The analysis takes place through 6 birth cohorts, ranging from 1942 to 1970, obtained from data of women aged 40 to 49 years in the 1991, 2000 and 2010 censuses. The methods used are binary logistic regression and decomposition based on regression. The results show that, in aggregate, both components contribute to the proportional increase of childlessness, with a slight advantage for the changes in the reproductive behavior. Analyzing the contribution of each of the variables, changes in education had a greater impact than changes in the union status. More specifically, the contributions of each of the variables categories show that the increase in childlessness is attributable mainly to two changes: composition of women with elementary incomplete and reproductive behavior of women who have already lived with their partners. The results of this work suggest and discuss a possible loosening/untying of the relationship between union and reproduction, as well as an increase in permanent voluntary childlessness.