Defesa de Tese do Programa de Pós-Graduação em Demografia/CEDEPLAR/FACE/UFMG. Aluna: Luisa Cardoso Guedes de Souza

Calendário
Defesas
Data
13.03.2020 2:00 pm - 6:30 pm

Descrição

Defesa de Tese do Programa de Pós-Graduação em Demografia/CEDEPLAR/FACE/UFMG

 

Aluna: Luísa Cardoso Guedes de Souza

 

Título: “Parenting intentions of same-sex couples: a case study in Brasília, Brazil”

 

Data da Defesa: 13/03/2020 (Sexta-feira)

Horário: 14h00

 

Orientadora:     Profa. Paula de Miranda Ribeiro (CEDEPLAR/FACE/UFMG)

 

Banca Examinadora:     

Profa. Paula de Miranda Ribeiro (CEDEPLAR/FACE/UFMG)

Profa. Laura Lídia Rodríguez Wong (CEDEPLAR/FACE/UFMG)

Profa. Andréa Branco Simão (CEDEPLAR/FACE/UFMG)

Profa. Marlise Miriam de Matos Almeida (FAFICH/UFMG)

Profa. Angelita Alves de Carvalho (ENCE/IBGE) (Participação por videoconferência)

Prof. José Eustáquio Diniz Alves (Ex-Professor da ENCE)

 

Local da Defesa: Auditório nº 4 – Bloco de Seminários - FACE/UFMG - CAMPUS PAMPULHA

 

RESUMO

Os estudos sobre fecundidade desejada são majoritariamente focados no comportamento reprodutivo feminino e nas intenções de fecundidade das mulheres, assumindo uma perspectiva biológica essencialista. Contudo, sabe-se que há outras formas de parentalidade e vivência familiar que não envolvem o modelo de família nuclear heterossexual no qual os estudos sobre fecundidade se baseiam.

A partir de uma abordagem qualitativa, investigou-se a formação familiar e as intenções de parentalidade de casais homossexuais e quais desafios enfrentam no processo. Busca-se aqui contribuir aos estudos de arranjos familiares, além de integrar uma perspectiva de gênero ampla às análises demográficas de intenções de fecundidade, dando visibilidade a um grupo social que geralmente não é incluído nas pesquisas da área no Brasil.

Para tanto, elaborou-se uma pesquisa de campo qualitativa e foram realizadas entrevistas em profundidade com 42 casais do mesmo sexo (20 casais femininos e 22 masculinos). Por meio da análise de redes temáticas, os resultados mostram a complexidade da formação da família e o processo de tomada de decisão de ter filhos, revelando o estigma social que ainda persiste. Alguns participantes experimentaram evolução do apoio da família antes ou depois de se casarem, mas o casamento não trouxe maior apoio familiar para todos os participantes.

A maioria dos entrevistados pretende ter filhos, mas as experiências e desejos dos casais de gays e de lésbicas são diferentes. Além das restrições biológicas e das possibilidades corporais que determinam decisões e diferenças comportamentais, as famílias estão expostas a um ideal heteronormativo que prioriza o cuidado feminino e outros estereótipos de gênero que influenciam as decisões parentais e a vida familiar nas famílias homossexuais.

A rede temática sobre formação familiar mostrou os diferentes caminhos dos casais para a construção de conexão afetiva e legitimidade social. Os resultados são consistentes com a literatura internacional, embora as eleições presidenciais de 2018 no Brasil e seus impactos no casamento homossexual mereçam atenção em pesquisas futuras.

Palavras Chave: homossexualidade; gênero; família; filhos; intenções de parentalidade 

 

ABSTRACT

Studies on desired fertility are mostly focused on female reproductive behavior and the fertility intentions of women, assuming an essentialist biological perspective. It is known there are other forms of parenthood and family life that are not based on the heterosexual nuclear family model that fertility studies assume.

Using a qualitative approach, I investigate the family formation process and parenting intentions of same-sex couples, looking at how they implement their intentions and the challenges they face. This dissertation contributes to the study of family arrangements and fertility, integrating a broader gender perspective into the demographic analyzes of fertility intentions and giving visibility to a social group that is not usually included in the area’s research in Brazil.

I conducted in-depth interviews online with 42 same-sex couples (20 lesbian couples and 22 gay couples) residing in Brasília. Through thematic network analysis, the results display the complexity of family formation, especially the decision-making process to have children, unveiling the management of persistent stigma. Some participants experienced an evolution of support from family before or after getting married, but marriage did not translate into greater familial support for all participants.

The majority of the interviewed couples intended to have children, but the experiences and desires of gays and lesbians couples were different. Besides biological constraints and corporeal possibilities that drive decisions and behavioral differences, families are exposed to a heteronormative ideal that prioritizes feminine care giving and other gender stereotypes that influences parental decisions and family life in same-sex households.

The thematic network on family formation shows the different avenues for constructing affectionate connection and social legitimacy. The findings in this dissertation are consistent with the international literature, although the 2018 presidential election in Brazil and its impacts on same-sex marriage are a recent and unique phenomenon that deserves further attention.  

Keywords: homosexuality; gender; family; children; parenting intentions