Defesa de Tese do Programa de Pós-Graduação em Demografia/CEDEPLAR/FACE/UFMG. Aluna: Rosa Victoria Salinas Castro

Calendário
Defesas
Data
17.02.2020 3:00 pm - 7:00 pm

Descrição

Defesa de Tese do Programa de Pós-Graduação em Demografia/CEDEPLAR/FACE/UFMG

 

Aluna: Rosa Victoria Salinas Castro

 

Título: “Las Fases Del Ciclo De Vida Del Hogar Indígena Y La Dinámica Ambiental: El Caso De La Amazonía Ecuatoriana”

 

Data da Defesa: 17/02/2020 (Segunda-feira)

Horário: 15h00

 

Orientador:       Prof. Alisson Flávio Barbieri (CEDEPLAR/FACE/UFMG)

Coorientador:   Prof. Richard Edward Bilsborrow (University of North Carolina – Chapel Hill)

 

Banca Examinadora:

Prof. Alisson Flávio Barbieri (CEDEPLAR/FACE/UFMG)

Prof. Richard Edward Bilsborrow (University of North Carolina – Chapel Hill) (Participação por videoconferência)

Profa. Laura Lídia Rodríguez Wong (CEDEPLAR/FACE/UFMG)

Prof. Clark Langston Gray (University of North Carolina – Chapel Hill) (Participação por videoconferência)

Prof. Carlos Fernando Mena (Universidad San Francisco de Quito – Equador) (Participação por videoconferência)

Prof. Diego Quiroga (Universidad San Francisco de Quito – Equador) (Participação por videoconferência)

 

Local da Defesa: Auditório nº 1 – Bloco de Seminários - FACE/UFMG - CAMPUS PAMPULHA

 

RESUMEN

Las poblaciones indígenas de la Amazonía ecuatoriana por los encuentros y desencuentros con el Estado, mercado y sociedad, mantienen continuas luchas para el respeto de sus derechos como poblaciones indígenas y humanos, que se traduce en luchas para la defensa de sus territorios. Frente a esto, esta investigación tuvo como objetivo conocer cuál ha sido el recorrido de los medios de vida de las poblaciones indígenas – sus formas de acceso y priorización a los capitales (natural, financiero, social y humano), la transformación de sus activos y la capacidad de actuar y satisfacer sus necesidades materiales o no-, y como estos medios de vida o capitales han establecido las relaciones para el uso de los recursos ambientales. Identificar estos cambios se hizo con el ciclo de vida del hogar indígena, que dan lugar a una diversificación y elección de medios de vida para el sustento del hogar. Pero este análisis respondió a otra condicionante, los factores mediadores, que son los que inciden en las decisiones para priorizar y/o determinar sus medios de vida y sus relaciones con el ambiente. Para esto se utilizaron técnicas de investigación cuantitativa y cualitativa. Los datos cuantitativos con dos encuestas realizadas en el 2001 y 2012 y los cualitativos con entrevistas personales en comunidades indígenas en el 2019. La investigación se estructuro en tres partes: (1) caracterización por período 2001, 2012 y 2019, (2) medición de los cambios entre los períodos 2001 y 2012 y (3) caracterización por cohorte del 2001. Los resultados muestran que estas poblaciones han sabido mantener a lo largo de los años cierta heterogeneidad en sus medios de vida sin generar mayores impactos a los recursos ambientales. Sin embargo, los factores mediadores juegan un papel determinante en las nuevas configuraciones y priorizaciones de los medios de vida, donde el capital financiero, tiende a ser el que direcciona y establece el resto de capitales, siendo su base estructural el capital natural. Así, la heterogeneidad se está volviendo hegemónica, mediadas por ciertos factores, que dan lugar a que el nivel de uso de recursos ambientales sin consideraciones sustentables sea alto porque los factores mediadores siguen operando para que estas formas se sigan presentando. Resultados que no necesariamente están mejorando las condiciones de vida de estas poblaciones.

Palabras clave: Amazonía, ambiente, cohorte, hogar indígena, medios de vida, periodo

 

RESUMO

As populações indígenas da Amazônia equatoriana pelos encontros e desacordos com o Estado, o mercado e a sociedade mantêm lutas contínuas pelo respeito aos seus direitos como populações indígenas e humanas, o que se traduz em lutas pela defesa de seus territórios. Diante disso, esta pesquisa teve como objetivo conhecer qual foi o caminho dos meios de subsistência das populações indígenas - suas formas de acesso e priorização de capitais (naturais, financeiros, sociais e humanos), a transformação de seus bens e a capacidade de agir e atender às suas necessidades materiais ou não materiais, e como esses meios de subsistência ou capitais estabeleceram relações para o uso de recursos ambientais. A identificação dessas mudanças foi feita com o ciclo de vida do domicílio indígena, o que levou a uma diversificação e escolha de meios de subsistência para o sustento do domicílio. Mas essa análise respondeu a outro fator condicionante, os fatores mediadores, que são aqueles que influenciam as decisões de priorizar e/ou determinar seus meios de subsistência e suas relações com o meio ambiente. Para isso, foram utilizadas técnicas de pesquisa quantitativa e qualitativa. Dados quantitativos com duas pesquisas realizadas em 2001 e 2012 e dados qualitativos com entrevistas pessoais em comunidades indígenas em 2019. A pesquisa foi estruturada em três partes: (1) caracterização pelo período 2001, 2012 e 2019, (2) medição de as mudanças entre os períodos de 2001 e 2012 e (3) caracterização por coorte de 2001. Os resultados mostram que essas populações mantiveram ao longo dos anos uma certa heterogeneidade em seus meios de subsistência, sem gerar maiores impactos sobre os recursos ambientais. No entanto, os fatores mediadores desempenham um papel decisivo nas novas configurações e priorização de meios de subsistência, onde o capital financeiro tende a ser o que dirige e estabelece o restante das capitais, sendo sua base estrutural o capital natural. Assim, a heterogeneidade está se tornando hegemônica, mediada por certos fatores, que resultam num uso alto de recursos ambientais sem considerações sustentáveis, porque os fatores mediadores continuam a operar para que essas formas continuem a ocorrer. Resultados que não estão necessariamente melhoran as condições de vida dessas populações.

Palavras-chave: Amazônia, meio ambiente, coorte, domicílios indígenas, meios de subsistência, período

 

ABSTRACT:

The indigenous populations of the Ecuadorian Amazon for the encounters and disagreements with the State, market and society, maintain continuous struggles for the respect of their rights as indigenous and human populations, which translates into struggles for the defense of their territories. Faced with this, the research aimed to know what has been the route of the livelihoods of indigenous populations - their forms of access and prioritization of capitals (natural, financial, social and human), the transformation of their assets and the ability to act and meet their material or non-material needs, and how these livelihoods or capitals have established relationships for the use of environmental resources. Identifying these changes was made with the life cycle of the indigenous household, which lead to a diversification and choice of livelihoods for the livelihood of the household. But, this analysis responded to another conditioning factor, the mediating factors, which are those that influence decisions to prioritize and / or determine their livelihoods and their relationships with the environment. For this, quantitative and qualitative research techniques were used. Quantitative data with two surveys carried out in 2001 and 2012 and qualitative data with personal interviews in indigenous communities in 2019. The research was structured in three parts: (1) characterization by period 2001, 2012 and 2019, (2) measurement of the changes between the periods 2001 and 2012 and (3) characterization by cohort of 2001. The results show that these populations have maintained over the years a certain heterogeneity in their livelihoods without generating greater impacts on environmental resources. However, mediating factors play a decisive role in the new configurations and prioritizations of livelihoods, where financial capital tends to be the one that directs and establishes the rest of capitals, being its natural capital structural base. Thus, heterogeneity is becoming hegemonic, mediated by certain factors, which result in the level of use of environmental resources without sustainable considerations being high because mediating factors continue to operate so that these forms continue to occur. Results that are not necessarily improving the living conditions of these populations.

Keywords: Amazon, environment, cohort, indigenous household, livelihoods, period