Defesa de Tese de JAKOB OTTO WILHELM SPARN - Curso: Doutorado em Economia

Calendário
Defesas
Data
17.06.2019 2:00 pm - 6:00 pm

Descrição

Defesa de Tese do Programa de Pós-Graduação em Economia/CEDEPLAR/FACE/UFMG

 

Aluno: JAKOB OTTO WILHELM SPARN

Título: “(Re)Imagining sustainable futures - A discussion between Degrowth and Buen Vivir"

Data da Defesa: 17/06/2019

Horário: 14h00

Orientador: Prof. Roberto Luís de Melo Monte-Mór (CEDEPLAR/FACE/UFMG)

 

Banca Examinadora:          

Prof. Roberto Luís de Melo Monte-Mór (Orientador) (CEDEPLAR/FACE/UFMG)

Profa. Sibelle Cornélio Diniz da Costa (CEDEPLAR/FACE/UFMG)

Prof. Hugo Eduardo Araújo da Gama Cerqueira (CEDEPLAR/FACE/UFMG)

Prof. Harley Silva (UFPA)

Prof. Alberto Acosta Espinosa (ILDIS)

Prof. Andre Mourthé de Oliveira (UFOP)

    

Local da Defesa: Auditório nº 3  – Bloco de Seminários - Prédio da FACE/UFMG - CAMPUS PAMPULHA

 

RESUMO: Esta tese propõe uma discussão sobre duas recentes alternativas de desenvolvimento, Decrescimento e Bem-vivir. O trabalho parte da hipótese de que a crise múltipla que enfrentamos atualmente é um resultado de nosso modelo civilizatório pouco sustentável. Esta crise é sistémica, envolvendo assuntos econômicos, sociais, políticos e ecológicos.
Já que os discursos e as práticas hegemônicas referentes à sustentabilidade têm se revelado contraditórios e insatisfatórios, o Bem-vivir e o Decrescimento propõem abordagens mais radicais para a sustentabilidade. Ambas surgerem mudanças profundas em nossas instituições e estruturas sociais, com o objetivo de alcançar uma sociedade
ecologicamente sustentável e socialmente justo. Esta tese oferece uma discussão teórica sobre as instituições e as práticas do desenvolvimento e sua insustentabilidade. A crítica ao desenvolvimento nos leva eaminar o Decrescimento e o Bem-vivir, destacando as eventuais soluções propostas. Aqui, o foco das discussões, as quais também abordam
uma série de assuntos interdisciplinários, está nos aspectos econômicos das propostas. Essas discussões incluem elaborações sobre a reforma do sistema monetário e financeiro, a ideia de uma renda básica universal, a organização da economia via cooperativas e elementos para uma economia solidária. Além disso, este trabalho traz um capítulo empírico na forma de quadro ilustrações de iniciativas (estudos de casos baseados em entrevistas) na Europa e na América do Sul, que trabalham rumo a práticas sociais de Decrescimento e/ou Bem-vivir. Em combinação com a discussão da literatura,
essas ilustrações destacam alguns dos desafios para uma ampla transição socioecológica em direção a uma sustentabilidade mais profunda. Especialmente, a necessidade de reconecção comunitária para, a (re)localização da atividade econômica e a criação de alianças para um futuro sustentável.


Palavras chave: decrescimento, Bem-vivir, sustentabilidade

 

Abstract
This thesis is a discussion about two emerging alternatives to development, Degrowth and Buen Vivir. The work departs from the assumptions that the present multiple crisis we are facing today is a result of our unsustainable model of civilization. This crisis is systemic, linking economic, social, political and ecological issues. As the mainstream
discourse and practices regarding sustainability have proven contractionary and inadequate, Buen Vivir and Degrowth propose more radical approaches towards sustainability. Both suggest profound changes in our institutions and social structures with the aim of achieving an ecologically sustainable and socially just society. This thesis offers a theoretical discussion about the institutions and practices of development and their unsustainability. This critique of development leads to the exploration of Degrowth and Buen Vivir and the solutions they suggest. The focus of these discussions, which address a variety of interdisciplinary issue, is on the economic aspects of these proposals. These discussions include elaborations on the reform of the monetary and financial systems, the idea of an universal basic income, organizing economic activity through cooperatives, and elements of a sharing economy. Additionally, this work provides an
empirical chapter in the form of four illustrations of initiatives (case studies based on interviews) from Europe and South America working towards a Degrowth and/or Buen Vivir social practice. In combination with the discussion of the literature, these illustrations highlight some of the challenges for broad a socio-ecological transition towards
sustainability. Particularly, the need for reconnection with community, for (re)localization of economic activity, and for creating alliances for a sustainable future.


Keywords: Degrowth, Buen Vivir, Sustainability