Defesa de Tese de JORDANA CRISTINA DE JESUS - Curso: Doutorado em Demografia

Calendário
Defesas
Data
19.06.2018 2:30 pm - 7:00 pm

Descrição

Defesa de Tese do Programa de Pós-Graduação em Demografia/CEDEPLAR/FACE/UFMG

 

Aluna: Jordana Cristina de Jesus

 

Título: “Trabalho doméstico não remunerado no Brasil: uma análise de produção, consumo e transferência”

 

Data da Defesa: 19/06/2018 (Terça-feira)

Horário: 14h30

 

Orientadora:    

Profa. Simone Wajnman (CEDEPLAR/FACE/UFMG)

Coorientador:  

Prof. Cássio Maldonado Turra (CEDEPLAR/FACE/UFMG)

 

Banca Examinadora:     

Profa. Simone Wajnman (CEDEPLAR/FACE/UFMG)

Prof. Cássio Maldonado Turra (CEDEPLAR/FACE/UFMG)

Prof. Bernardo Lanza Queiroz (CEDEPLAR/FACE/UFMG)

Prof. Eduardo Luiz Gonçalves Rios Neto (CEDEPLAR/FACE/UFMG)

Profa. Maria Carolina Tomás (PUC Minas)

Profa. Hildete Pereira de Melo Hermes de Araújo (Universidade Federal Fluminense)

  

Local da Defesa: Auditório nº 4 – Bloco de Seminários - FACE/UFMG - CAMPUS PAMPULHA

 

RESUMO:

As pesquisas de uso do tempo constituem a principal a fonte de informação para as estimativas de produção, consumo e transferência de tempo de trabalho doméstico não remunerado (TDNR). Atualmente, 18 países da América Latina e do Caribe coletam dados de uso de tempo. O Brasil é o único país nesta lista que limita a coleta de dados a uma única informação: o número total de horas dedicadas por semana aos afazeres domésticos, disponível na PNAD anual. A falta de detalhamento do questionário resulta na subnotificação do número de horas dedicadas ao cuidado de crianças. Além disso, impede-nos de desagregar o consumo de atividades domésticas em atividades gerais e de cuidados, afetando o cálculo das transferências de tempo. Propõe-se, portanto, uma metodologia para estimar as contas nacionais de transferência de tempo de TDNR para o Brasil (produção, consumo e transferências) através do único quesito disponível na PNAD. Para isso, combinamos os dados brasileiros com as informações da Pesquisa Nacional de Uso do Tempo da Colômbia (2012- 2013), um país que compartilha algumas características sociodemográficas, econômicas e culturais com o Brasil. Através de uma padronização indireta, foi possível corrigir os dados brasileiros utilizando a razão entre o número médio de horas dedicadas às atividades de cuidado em relação às demais atividades domésticas, segundo um conjunto de variáveis. Os dados corrigidos permitiram estimar, pela primeira vez para o Brasil, os perfis etários de consumo, produção e transferência de tempo de TDNR. As estimativas evidenciam a inequidade de gênero nas transferências intergeracionais de tempo de trabalho doméstico. Os resultados demonstram que as mulheres, após a infância, passam praticamente todo o curso de vida como transferidoras líquidas de TDNR, com diferenças significativas entre os níveis de renda. Os homens em todos os níveis de renda e em todas as idades são consumidores líquidos de trabalho doméstico, consumindo mais do que produzem. Aplicando o método de valoração do trabalho doméstico pelo rendimento observado nas ocupações de serviços domésticos e de cuidado de crianças, estima-se que a produção agregada de trabalho doméstico em 2013 tenha representado 10,4% do PIB brasileiro. Combinando a produção no mercado de trabalho com a produção doméstica, demonstrou-se, ainda, que em todas as idades as mulheres contribuíram tanto quanto os homens para a economia.

    

ABSTRACT:

Time use surveys are the main source of information for estimates of production, consumption and transfer of unpaid work. Currently, 18 countries in Latin America and the Caribbean have some measure of time use. Brazil is the only one in this list of countries that has only the information of hours normally dedicated per week to housework, available in the National Household Survey. Preliminary analyzes of this information identified underreporting in the number of hours devoted to childcare. In addition, to estimate consumption, housework should be disaggregated at least in general household activities and care activities, since childcare is only consumed by children. Therefore, it is proposed a methodology for calculating the production, consumption and transfers based on this single information on hours of housework per week. We chose the 2012-2013 National Time Use Survey from Colombia, a country that holds socio-demographic, economic and cultural similarities with Brazil. I used indirect standardization, borrowing from the Colombia data the ratio between the average number of daily hours of childcare performed for each hour of other domestic activities to estimate time of childcare for Brazil. From the corrected data, it was possible to estimate, for the first time, all the age profiles of production, consumption and transfer of housework for Brazil. The estimates evidence gender inequality in intergenerational transfers of houserwork time. The results show that women, after childhood, spend virtually the entire life-course producing more housework than consuming, with significant differences between income levels. Men at all income levels and at all ages are net consumers of domestic work, consuming more than they produce. Applying the specialist replacement method for pricing household production, the total value of labour devoted to home production of the nonmarket services represents 10.4% of GDP in 2013. Combining production in the labor market with domestic production, I also show that at all ages women contributed as much as men to the economy.