Projeto Perspectivas dos Investimentos Sociais no Brasil (PIS)

Apresentação

O projeto terá quatro níveis de produção de conhecimento: (i) os estudos transversais, que cobrem as questões sociais de maneira geral, perpassando diversas áreas e temas e gerando análises e sínteses, com o objetivo de estabelecer um arcabouço geral de política social; (ii) os estudos setoriais, que correspondem a áreas de conhecimento específicos e limitados ao seu próprio campo; (iii) os investimentos sociais das empresas, que tem foco nos setores econômicos e o objetivo de construir benchmarks sócio-ambientais de cadeias produtivas relevantes e guias de responsabilidade corporativa nessa área; e (iv) a consolidação dos estudos que deverá inserir os resultados dos estudos produzidos no contexto da política de desenvolvimento social para país.

Os estudos transversais, devido a sua complexidade, exigem um detalhamento próprio para sua estrutura de funcionamento. É neste nível que se darão as expansões necessárias para caracterizar a conectividade entre as áreas sociais e que, em última instância, é o que permite concretizar ações sociais de interesse para o desenvolvimento do país. Os estudos transversais também devem evitar que a especialização típica dos estudos setoriais se perca do contexto das linhas de fomento e desenvolvimento social para o país. São os estudos transversais que indicarão as inter-relações dos estudos econômicos com os sociais, ampliando a área de conhecimento do BNDES como principal agente de desenvolvimento econômico e social do país.

Os estudos transversais se desenvolverão em dois módulos:

  • (i) Parâmetros da Política Social: serão constituídos a partir de estudos sobre a mobilidade urbana, serviços sociais básicos e empreendedorismo e serviços financeiros produtivos.
  • (ii) Interação entre o Econômico e o Social: levantarão as interações entre as áreas econômicas e sociais e as questões relativas ao impacto sócio ambiental de cadeias produtivas e sobre instrumentos de conservação e qualidade sustentáveis como salvaguardas sócio-ambientais.

Os estudos setoriais visam uma cobertura extensiva de diversos campos de atuação das políticas públicas sociais organizando os horizontes de reflexão sobre cenários existentes e os desafios do desenvolvimento social e ambiental. Os estudos referem-se, em linhas gerais, às questões de mobilidade urbana, saneamento, desenvolvimento urbano, educação, redes de atenção social, saúde, segurança, cultura, inclusão digital, meio ambiente, empreendedorismo e microfinanças.

A análise dos investimentos sociais das empresas envolve dois tipos de estudo. O primeiro discutirá os impactos sócio-ambientais de cadeias produtivas (em princípio, etanol, carne bovina, mineração, energia elétrica, papel e celulose), buscando estabelecer parâmetros de sustentabilidade. O segundo tipo objetiva produzir guias de desempenho, instrumentos e salvaguardas sócio-ambientais para diversos setores de atividade econômica.

A consolidação dos estudos será realizada de forma a ampliar o conhecimento sobre tendências de desenvolvimento econômico e social, potencializando o conteúdo apresentado nos dois níveis acima. A consolidação se dará a partir da elaboração de dois livros. O primeiro será uma coletânea de estudos selecionados, disponibilizando ao público o conhecimento produzido pelo Projeto. O segundo será dedicado a sistematização, integração e ampliação do conhecimento sobre o desenvolvimento social, regional e ambiental no Brasil, utilizando os estudos como “background papers”. Este segundo livro contará, em princípio, com o seguinte recorte temático: Modernização do Estado; Investimentos sociais, ambientais e culturais; Integração e Convergência Territorial; Desenvolvimento de mercados e Empreendedorismo; Investimento Social das Empresas; Produção e sistematização de conhecimento.

O Projeto apresenta duas linhas de pesquisa. A primeira (sócio-econômica) trata dos aspectos econômicos envolvidos nos temas sociais, enquanto a segunda (econômica-social) faz o inverso, ou seja, aborda os problemas sociais inseridos nos investimentos produtivos.

A linha sócio-econômica problematiza os temas sociais sob o olhar econômico. A hipótese é que as questões sociais têm componentes relacionados ao mercado, às instituições, à estrutura do financiamento, cujo estudo é fundamental para a superação dos principais gargalos. Ela conecta, embora de uma forma não engessada e exclusiva, o item (i) dos estudos transversais (“parâmetros da política social”) aos estudos setoriais, com exceção do módulo sobre “empreendedorismo e serviços financeiros”, que está conectado à segunda linha.

A linha econômica-social, por sua vez, vai tratar da relação entre a superação dos gargalos sociais e os investimentos produtivos. Nessa linha, serão investigadas soluções para os investimentos sociais das empresas, o impacto dos projetos industriais no seu entorno territorial, a dinâmica existente entre o desenvolvimento urbano e regional, os tipos de atividade econômica e o desenvolvimento sócio-ambiental-cultural, além de estudos específicos sobre cadeias produtivas.

Composição da Equipe e Responsabilidades

O estudo será realizado por um conjunto de instituições acadêmicas, sob a coordenação técnica do CEDEPLAR/UFMG, com a participação de outros centros universitários como UFRJ, UFABC, USP, UFF, dentre outros centros de pesquisa a serem engajados no trabalho. A estrutura organizacional do projeto prevê quatro níveis decisórios: coordenação geral, coordenação de área, gerência executiva e pesquisadores.

Coordenador Geral

Eduardo L.G. Rios Neto

Coordenadores de módulos

  • Adriana Fontes
  • Alisson Flávio Barbieri
  • Ana Flávia Machado
  • Célia de Andrade Lessa Kerstenetzky
  • Duval Magalhães Fernandes
  • Eduardo Cesar Marques
  • Emílio La Rovere
  • Roberto do Nascimento Rodrigues
  • Simone Wajnman

Estudos Elaborados