Projeto Mudanças Climáticas, Migrações e Saúde no Nordeste Brasileiro

Objetivos

O principal objetivo da pesquisa "Mudanças Climáticas, Migracões e Saúde:enários para o Nordeste, 2000-2050" é mapear algumas das conseqüênciassocioeconômicas das mudanças climáticas sobre a região Nordeste do país. Um dos pontos centrais do estudo é identificar, a partir de uma escala temporal que vai até 2050, como o novo clima poderá influenciar o movimento migratório das populações nordestinas.

Os resultados produzidos por esta pesquisa científica são fundamentais para que os formuladores de políticas públicas possam desenhar medidas de mitigação e de adaptação para as populações do Semi-Árido. Tanto a segurança alimentar dessas pessoas quanto os indicadores de saúde da região serão atingidos negativamente pela nova realidade climática.

As mudanças climáticas afetam a economia e motivam a migração humana, particularmente quando falham os mecanismos de adaptação. Esses deslocamentos acabam atuando na elevação do nível de vulnerabilidade populacional, principalmente quando eles são associados a contingentes de pessoas com nível socioeconômico mais baixo.

A análise de vulnerabilidade presente neste estudo leva em consideração como os fatores sociais, econômicos, culturais e institucionais afetam a capacidade dos indivíduos de responder e de se adaptar aos efeitos das mudanças climáticas. A capacidade adaptativa, considerada um dos determinantes da vulnerabilidade, representa os fatores sociais, físicos e tecnológicos que funcionam como barreiras ou facilitadores do processo adaptativo. Ela é definida como a habilidade do sistema de se ajustar a nova realidade climática.

Neste contexto, a identificação e a distinção de populações expostas a diferentes riscos, assim como a adoção de estratégias de adaptação, devem ser parte imprescindível de políticas públicas futuras relacionadas com o impacto das mudanças climáticas. Estratégias de adaptação – ao lado de ações de mitigação – devem incluir a elaboração de políticas e planejamento de longo prazo que se traduzam em resultados no curto prazo.

Equipe

Alisson Barbieri (coordenador)
Ulisses E. C. Confalonieri (coordenador)
Ricardo Ruiz (pesquisador)
Anna Carolina Lustosa Lima (pesquisadora)
Bernardo Lanza (pesquisador)
Cássio Maldonado Turra (pesquisador)
Diana Sawyer (consultora)
Claudia K. Berenstein (pesquisadora)
Edson Domingues (pesquisador)
Diana Pinheiro Marinho (pesquisadora)
Irineu Rigotti (pesquisador)
Celina M. Modena (pesquisadora)
José Alberto Magno de Carvalho (pesquisador)
Marco Flávio Resende (consultor)

Fernando Duca (assistente de pesquisa)
Gabriela Ferreira (assistente de pesquisa)
Iara Viana (assistente de pesquisa)
Fernando Furtado (assistente de pesquisa)
Gislaine Barros (assistente de pesquisa)
Samuel Barcelos (assistente de pesquisa)

Relatórios